terça-feira, outubro 09, 2007

Mirar



Sou alfacinha, mas sempre vivi nos arredores da metrópole. Trabalhei durante muitos anos em Lisboa e rumava a casa no turbilhão desenfreado de milhares de pessoas no regresso ao subúrbio. Todos os dias as mesmas pessoas, no Metro, no Comboio. Conhecidos com os quais não trocava qualquer palavra. Imaginava para onde iam, o que faziam, como seria a sua vida fora da rotina do dia-a-dia. Muitas pessoas, só porque trabalham na Capital, não a olham como turistas. Eu gosto de ser turista na minha cidade. Adoro descobrir recantos, vielas, avistar os cacilheiros no Tejo, beber nas tascas do Bairro Alto, andar nos velhinhos eléctricos cravejados de camones. Empreendi, em tempos, uma jornada pelos miradouros de Lisboa, propícios a vistas amplas e deslumbrantes. O Tejo fica sempre bem nas sete colinas da cidade… Mas só este fim-de-semana descobri o Miradouro de Nossa Senhora do Monte. Com uma vista privilegiada sobre o Castelo de S. Jorge, Martim Moniz e o Tejo como pano de fundo. Terei de revisitá-lo num dia límpido e com a bela luz reflectida na velha cidade.

4 comentários:

gnoveva disse...

tenho de ver isto!

Custódia C.C. disse...

Também não conheço este !!! Imperdoável ...

nelio disse...

vivi 7 anos em lisboa, o tempo da universidade. ficou-me gravada bem cá dentro. não tendo nascido aí, em pouco tempo se tornou a minha cidade. fizeste-me agora reviver essa luz gloriosa que iluminava as manhãs de lazer, muitas vezes sem noite dormida, em que vagueava pelos bairros antigos.

nelio disse...

manhãs de lazer, ao fim de semana, para que não fiquem mal entendidos. eu era um moçito aplicado... :)