terça-feira, fevereiro 26, 2008

Silêncios Desconfortáveis?

Anna Hymas

Nada como uma boa conversa sobre o tempo: que “eles” enganam-se sempre, que nunca esteve tanto calor nesta altura do ano, que uma pessoa não sabe o que vestir – de manhã está frio e à tarde está calor, que não há quem resista à borrasca ou à canícula, que a chuva não serve para nada – a malta quer é ir para a praia, que nunca mais está frio para vestir aquele casaco fantástico comprado em Londres, que, que…

Ou

Nada como uma boa conversa sobre doenças e seus derivados: que os médicos são uns carniceiros, que a dor no fundo das costas só pode ser dos rins, que os medicamentos estão caríssimos, que a vizinha do 3º direito teve uma trombose, coitadinha, que as urgências são um caos, desumanas, que a obstipação é uma maçada, que eu sei mais de maleitas do que tu, que, que…

4 comentários:

marta r disse...

No outro dia, estava a ver um filme cuja acção se situava algures no século XIX e a mãe de uma das personagens - uma jovem em idade casadoira - dizia-lhe, minutos antes da receber a visita de um potencial noivo, que se limitasse ao tempo como tema da conversa...

Há coisas que nunca mudam. As conversas sobre o tempo é uma delas. Cabe em todas as cenas e com todas as personagens.

Custódia C.C. disse...

Eu cá por mim prefiro ficar caladinha, mas é ....

nelio disse...

ainda bem que hoje está um dia de sol. se não fosse esta enxaqueca, seria um dia perfeito... :)

Suzi disse...

Às vezes tenho vontade de olhar pro lado e dizer:
"- Tudo bem, pode fazer silêncio."

Por que alguns insistem na idéia de que é sempre preciso falar alguma coisa??????