quarta-feira, dezembro 03, 2008

Ver para crer


Ensaio sobre a Cegueira é um dos meus livros preferidos de sempre. Uma crua alegoria da condição humana. Visualizamos os cenários, os personagens e as situações. Pensamos, durante a leitura, que daria um grande filme. Fiquei em estado de alerta assim que soube da adaptação ao cinema pelo Fernando Meireles. Acompanhei, no blog do realizador, todo o processo das filmagens, a composição da banda sonora, os cortes e os visionamentos finais. Como seria de esperar as minhas expectativas estavam ao rubro. Sem dúvida que o filme é fiel ao livro, que o argumento respeita a lógica de Saramago, mas não me encheu as medidas. Uma visão mais personalizada, uma abordagem pessoal do livro seria mais proveitoso. O efeito surpresa perde-se na tentativa de respeitar “na íntegra” o livro. Quem não leu o livro terá, com certeza, outra opinião… Mas que tem uma Julianne Moore fantástica, lá isso tem!

5 comentários:

1entre1000's disse...

pois eu não li o livro, bem m dizia o meu little brother: se tens lido o livro não ficavas assim tão entusiasmada... mas pronto não li e gostei muito, devo ler eu sei, é uma falha!

triss disse...

Estou muito curiosa para ver este filme. Tão curiosa que vou reservar a leitura do teu post para depois do visionamento do dito filme:-)
O livro é muito bom, com a sua dose de angustiazita e desconcertamento.

marta r disse...

Terão sido expectativas demasiado elevadas?

Soft Bites disse...

O próprio Saramago pediu para que livro e filme fossem entendidos como duas obras distintas.
A verdade é que, um vive sem o outro, e isso dá-lhe grandiosidade.
O filme é um parente pobre sim, mas cumpre o propósito de nos levar para um mundo de ficção onde a dignidade humana se degrada e onde perdemos o respeito pelo outro.

superior disse...

hermes birkin bag
hermes birkin
hermes bag
hermes handbags
gucci handbags