sexta-feira, dezembro 14, 2007

A Carta




Querido Pai Natal,

Pratiquei o pecado, pois pratiquei! Admito. Nada de muito grave, diga-se… Há que ter o condão de saber perdoar os pecadores: dar-lhes o benefício da dúvida e o direito à redenção. Penso que o senhor, generoso como é, compreenderá a minha situação e não irá declinar o meu parco pedido (mostrado em cima). Mas também pratiquei o bem e ajudei o próximo o que pesará, sem dúvida, na sua decisão. Optei por escrever-lhe hoje, sexta-feira, pois gostará deste dia tanto quanto eu e estará bem disposto mas, acima de tudo, condescendente. Desafio-o para, em uníssono, gritarmos um HIP HIP HURRA bem sonoro e audível do outro lado do mundo…

Sem mais, despeço-me com ternura.

Luís F.

6 comentários:

marta r disse...

Tenho a certeza que o Pai Natal não te vai negar o perdão!

(adorava ter o suporte das facas... ficava lindamente na minha cozinha!)

1entre1000's disse...

olha podes enviar esta carta para: santaclaus.fi, e estou de acordo com a martar ele não te vai negar de certeza...
e sim essas peças são um must!

Suzi disse...

esse teu espírito natalino está caminhando para um espírito assassino ou é impressão minha???

:o)))

Custódia C.C. disse...

Gostei da parte da despedida ternurenta, tendo em conta o aspecto mortífero dos presentes :):):)
Bom fds

Naso Lituratus disse...

Eu subscrevo exactamente o que disse a minha vizinha de cima.

gnoveva disse...

medo.