quarta-feira, abril 09, 2008

Pescadinha de Rabo na Boca

A coisa funciona assim: fulano conta a sicrano e sicrano conta a beltrano. Beltrano confronta fulano e fulano culpabiliza sicrano. Fulano pede explicações a sicrano e sicrano diz nada saber. Entretanto, beltrano corta relações com fulano e também com sicrano. O bate boca existe em todo o lado, no trabalho, no grupo de amigos, no meio de conhecidos, no salão de cabeleireiro, na tasca da esquina. Faz parte da génese do ser humano. É tão confortável falar dos outros e não ter de olhar para o próprio umbigo. Por exemplo, no trabalho, se não entras neste esquema, se reservas a tua opinião, se não comentas o corte de cabelo da colega da contabilidade, ou a gravata pavorosa do chefe, és um ser estranho, alienado da realidade. Para seres aceite pelas massas tens de fazer parte das massas, caso contrário és a ave rara, taciturna e mal disposta que se senta na secretária que mais parece uma ilha distante com um único nativo e sem a visita de forasteiros.

6 comentários:

marta r disse...

Épá, este post podia ter sido escrito por mim....

Capitão Gancho disse...

Enganas-te... não é fácil nem confortável olhar para o próprio umbigo, isto quando por muito esforço que se faça, não se consiga visualizá-lo...eh eh eh

triss disse...

Bem, no trabalho não entro mesmo nesses esquemas, quando começa uma conversa dessas afasto-me. Pensem o que quiserem. Temos pena.

Fenrisar disse...

See Please Here

Suzi disse...

e se ficas quieto, enquanto os outros falam, vêm te perguntar:
- "o que há?"
como se fosses mesmo ave rara...
ou bicho-preguiça. que mal há em trabalhar, na hora do expediente???

1entre1000's disse...

exacto... por estas bandas já me apelidaram de anti-social... lol